International, Brazil, Portugal

26 – 26 May, 2022

Civilização Planetária – com Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho

Neste século XXI, caminhamos no fio da navalha entre a barbárie da crueldade, dominação, subserviência, velhas conhecidas da humanidade, e a barbárie, que Edgar Morin identifica como “fria e gelada”, do cálculo econômico que só contempla contas e não os seres vivos. Apesar disso sonhamos e criamos embriões para outras alternativas de vida em comum, para um bem viver de todos. No século XX, sob o impacto da guerra mundial, criou-se uma instancia supranacional, a Organização das Nações Unidas, não apenas para buscar evitar ou pacificar conflitos armados, mas para dar conta das desigualdades que mantem populações famintas, submissas ou expulsas de seus territórios pela violência e, mais recentemente, da visível ameaça à vida no Planeta, que pode extinguir a própria espécie humana. Mas afinal o que entendemos por civilização? Há mesmo um caminho para uma civilização planetária capaz de nos aproximar de um convívio de respeito mútuo entre a família humana e entre os seres vivos de modo a que todos tenham oportunidade de realizar suas capacidades, de cooperar para superar problemas comuns, de ser co-criadores de uma nova era? 

Este Masterclass oferecerá uma oportunidade para expandir nossa compreensão sobre os desafios e oportunidades da nossa civilização atual e identificar os passos necessários para nos colocar no rumo de uma civilização planetária e ecológica. 

Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho

Read more Close description

Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho, nascido em Salvador (BA), 72 anos, médico sanitarista. Militou no movimento estudantil a partir de 1968 e, a partir de 1974, atuou em movimentos populares na periferia de São Paulo, onde organizou os primeiros conselhos populares de saúde, em 1978. No Legislativo, foi deputado estadual e federal pelo Partido dos Trabalhadores em legislaturas entre 1983 e 2003. É co-autor da legislação constitucional sobre Seguridade Social (Saúde, Previdência e Assistência Social) e autor ou co-autor de leis brasileiras que regulamentam medicamentos genéricos, planejamento familiar, esterilização voluntária, vinculação de recursos orçamentários para o Sistema Único de Saúde, restrição ao uso do amianto e a Lei Orgânica da Assistência Social. No Executivo, foi Secretário Municipal de Saúde de São Paulo no governo de Luiza Erundina, entre 1989 e 1990 e na gestão de Marta Suplicy, de 2001 a 2002, tendo reorganizado e descentralizado a estrutura municipal de saúde e instalado o Programa Saúde da Família mediante parcerias com universidades e organizações da sociedade civil. Secretário Municipal do Meio Ambiente de São Paulo nas gestões de José Serra e Gilberto Kassab, de 2005 a 2012, criou a Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz e efetivou a criação e instalação de dezenas de parques públicos e lineares na periferia de São Paulo, de modo que o município saltasse de 32 para 99 parques ao final de sua gestão. Teceu parcerias intersecretariais para desenvolver iniciativas como o Programa Ambientes Verdes e Saudáveis com a Secretaria de Saúde, a organização dos Conselhos de Meio Ambiente e Cultura de Paz com as Sub Prefeituras, com a Secretaria de Segurança Urbana preparou guardas civis municipais para a instalação das Casas de Mediação de Conflitos e participou do programa Operação Defesa das Águas; com a Secretaria Municipal de Educação realizou formação de professores com a Carta da Terra, entre outros projetos, Filiado ao Partido Verde desde 2004, foi candidato a presidente da República nas eleições de 2014 e, em 2018, candidato a vice-presidente na chapa de Mariana Silva (REDE). Em 2013 publicou o livro Três ou Quatro Sementes de Araçá.

Mais informação: [email protected]